Redes Sociais
Redes Sociais

Brasil

Testes mostram falhas, mas TSE diz que urna eletrônica é confiável

O objetivo era verificar se as vulnerabilidades encontradas no sistema da urna eletrônica.

Urna Eletrônica
Foto: Divulgação

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) concluiu, na última terça-feira (8), o Teste Público de Segurança nas urnas eletrônicas. O objetivo era verificar se as vulnerabilidades encontradas no sistema da urna eletrônica, em 2017, foram resolvidas. No ano passado, professores universitários conseguiram acessar as chaves criptográficas do software, ou seja, acessá-lo.

Desde 2009, o TSE realizou quatro rodadas de checagem de segurança para identificar pontos frágeis no software usados nas urnas eletrônicas. A Justiça Eleitoral nunca achou evidências de fraudes em eleição, como a violação do sigilo dos eleitores ou a transferência de votos entre candidatos.

Porém, o professor da Unicamp (Universidade de Campinas) Diego Aranha, em conjunto com outros acadêmicos de universidades renomadas — Federal de Pernambuco, Federal de São Carlos (SP) e Federal de Campina Grande (PB) —, conseguiu planejar ataques ao sistema que comprovam a viabilidade de interferir no resultado das urnas.

Os testes

Em todos os testes realizados pelo TSE, os investigadores encontraram falhas e vulnerabilidades no sistema. Essa situação tem pontos de vista diferentes entre autoridades e responsáveis por planejar ataques hackers.

"O TSE abre todos os programas e dá acesso a todas as informações. Uma vez identificados problemas, são feitos registros e corrigidos. Isso é uma evidência da transparência institucional para a sociedade verificar a robustez do sistema", diz Giuseppe Janino, secretário de Tecnologia da Informação do TSE.

"Ao longo das quatro iniciativas de testes, o sistema eleitoral brasileiro demonstrou-se vulnerável. Não dá para dizer que é seguro, apesar de estar em uso há mais de 20 anos", diz Diego Aranha, da Unicamp

As falhas em 2017

No ano passado, a equipe do professor Aranha havia planejado um último teste que comprovaria a possibilidade de transferência de votos de um candidato para outro, mas por falta de tempo não consegiu executar o ataque.

"O TSE não modela um fraudador realista que poderia vazar o código fonte e trabalhar no conforto de casa para realizar testes quantas vezes precisar. O teste tem restrição de tempo e se não for concluído não há chances para repetir", pontua Aranha.

Janino não compartilha da mesma tese e afirma que o teste "é um processo democrático e participativo, no qual o cidadão brasileiro pode dar a sua contribuição na melhoria do processo eleitoral."

Confiança

As divergências continuam quando o assunto é a confiança no sistema eleitoral brasileiro.

“Nós podemos afirmar que as urnas eletrônicas são 100% seguras. São 22 anos de uso e nunca houve um caso de fraude. Isso é comprovado e evidenciado pelos próprios Testes Públicos de Segurança. O sistema eleitoral brasileiro é confiável”, afirma Janino

O professor da Unicamp alerta para a possibilidade de fraudes internas no TSE.

"A urna brasileira não satisfaz os requisitos nem de segurança nem de transparência" e complementa "As eleições sempre estarão vulneráveis a um eventual ataque interno do TSE, que tem acesso privilegiado ao sistema eleitoral."

Ataques simples

Os problemas de segurança detectados pela equipe de professores, no ano passado, não foram ações consideradas complexas. Uma das fragilidades encontradas foi o uso das mesmas chaves criptogradas em todas as urnas eleitorais do Brasil.

"O armazenamento de chave criptográficas e o embaralhamento de votos não são questões na fronteira do conhecimento humano. Isso é ensinado nos cursos de graduação", diz Aranha.

O secretário do TSE explica que "as vulnerabilidades encontradas pela equipe coordenada pelo professor Diego Aranha foram interpretadas como defeitos do software."

Correções do sistema

Nos últimos testes de segurança realizado pelo TSE, os problemas apontados pelos avaliadores foram corrigidos, mas Aranha não concorda com as soluções.

"As medidas apresentadas pelo TSE são aceitáveis por terem sido implementadas em cinco meses, mas entendo que os problemas não foram devidamente corrigidos. O TSE demorou cinco anos para perceber que o armazenamento de chaves criptográficas no código fonte era um problema de segurança", diz o professor.

Para Janino, "os defeitos apresentados nesta última versão do software e as fragilidades identificadas nas outras edições do Testes Públicos foram devidamente processadas e não foram apontadas novamente".

Testes X TSE

O professor Aranha não contribuirá nos próximos testes do TSE por divergências na apresentação dos resultados. Ele classifica como "frustrante" e "desgastante" ter que lidar com a justiça eleitoral.

"O TSE sempre tenta mostrar que o sistema é seguro, quando as evidencias técnicas apontam para o sentido contrário. Não dar tempo não é justificativa para dizer que o sistema confiável. Esse argumento me parece desonesto", afirma o professor Aranha

O secretário do TSE se mostra confiante no processo eleitoral. "O Brasil é pioneiro e único a abrir o sistema eleitoral para que sejam realizados ataques ao sistema de segurança. Eu tenho plena convicção de que a eleição neste ano está segura e vai estar cada vez mais. Principalmente pela realização dos testes."

Urnas eletrônicas no mundo

O Brasil usa as urnas eletrônicas desde as eleições municipais de 1996. Os eleitores de outros 32 países também abandonaram a cédula e usam um sistema informatizado de votação. Entre esses estão: México, Venezuela, Itália, França, Rússia, Índia e oito estados dos EUA.

Comentários
Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Vip , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Matupá

Grupo Tibanaré realiza oficina de teatro em Matupá

Em parceria com a Secretaria de Cultura mais de 25 pessoas participaram da capacitação cênica.

Grupo Tibanaré realiza oficina de teatro em Matupá
Foto: Oficina de Teatro

A Secretaria de Cultura de Matupá realizou em parceria com o Projeto Circula MT e o ‘Grupo Teatral Tibanaré’ uma importante Oficina Cênica envolvendo cerca de 25 crianças, adolescentes, jovens e adultos com grande potencial e vocação para o teatro.  

O evento aconteceu no último domingo (19) na sede da secretaria, localizada na Avenida Hermínio Ometto, e foi ministrado pelo Diretor e Ator, Jefferson Jarcem.

Na prática foram desenvolvidas técnicas de conhecimento das linguagens teatrais, exercícios e atividades motoras, interpretação, comunicação, criatividade, rapidez de raciocínio, expressividade, construção de personagens, trabalho em equipe, entre outras.

A Oficina de Teatro do Grupo Tibanaré foi totalmente gratuita aos participantes e durou cerca de três horas extremamente produtivas. Segundo a Secretária de Cultura Matupaense, Wânia Becker, os participantes ampliaram a capacidade de comunicação, que é muito importante durante a apresentação de um espetáculo, mas também no mercado de trabalho, e nas relações sociais como um todo.

“Nossa missão é disseminar a arte e a cultura, e em Matupá encontramos fortes parceiros. Toda oficina foi prática, proporcionando aos futuros atores e atrizes uma gama de exercícios que irão aprimorar sua atuação cênica: a sensibilização, a desinibição, afetividade, equilíbrio, auto-identidade, auto-expressão, espírito de grupo, enfim, o aproveitamento foi total e isso irá refletir nas cenas de teatro por meio da interação com o público”, disse o Diretor Jefferson Jarcem.

Continue Lendo

BR 163

Prefeito comemora Licitação para Reestruturar a Ponte do Rio Peixoto

Prefeito Peixotense pleiteou além da duplicação da rodovia, construção de viaduto, passarelas aéreas e melhorias estruturais da Ponte sobre o Rio Peixoto.

Prefeito comemora Licitação para Reestruturar a Ponte do Rio Peixoto
Foto:

Depois de muitas idas e vindas a Brasília, gestões políticas junto ao Ministério dos Transportes e muita persistência por parte do Prefeito de Peixoto de Azevedo, Maurício Ferreira de Souza, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte – DNIT, atendeu o pleito e abriu processo licitatório para reestruturar a Ponte do Rio Peixoto na rodovia BR-163 que está com parte de sua estrutura comprometida.

Quando esteve na Superintendência do DNIT, o Prefeito Peixotense cobrou a recuperação integral do pavimento asfáltico da pista da rodovia federal e de toda travessia urbana, que resultou na 1ª etapa da revitalização executada em junho de 2018 e março de 2019.  

Além da recuperação asfáltica da pista de rolamento e acostamento, houve a conservação da faixa de domínio e a promoção de melhorias estruturais do pavimento das paralelas da BR-163.  Essa restauração que continua no trecho até a cidade de Guarantã do Norte faz parte do CREMA (Contrato de Restauração e Manutenção) desenvolvido dentro do Programa de Restauração e Descentralização de Rodovias Federais do DNIT.

“Outro pleito formulamos na época diz respeito a disponibilização de recursos federais para que o DNIT possa promover a Duplicação de Peixoto de Azevedo a Guaratã do Norte, a Expansão das Travessias Urbanas, Iluminação Ornamental e a construção de Viadutos e Passarelas Aéreas para os Pedestres, já que vários acidentes estão acontecendo inclusive com vítimas fatais”, comentou o Prefeito Maurício.

Esta semana o gestor municipal foi informado que a Superintendência Regional do DNIT em Mato Grosso já divulgou o edital de licitação para habilitar empresa a desenvolver a recuperação da ponte sobre o Rio Peixoto de Azevedo. Foram disponibilizados cerca de R$ 1,6 milhão para promoção das urgentes melhorias estruturais. A licitação propriamente dita deverá acontecer em 06 de junho de 2019.

“O órgão federal realizou levantamentos técnicos de engenharia e constatou os problemas estruturais que nós já havíamos apontado há muito tempo. São rachaduras nos pilares, rebaixamento da ponte causando instabilidade, abertura de frestas entre as placas de concreto, buracos em meio a travessia, danificação do muro de proteção e limitação, entre outras situações preocupantes, uma vez que devido a esses problemas, constantemente estão acontecem acidentes de grandes proporções, além desta insegurança os condutores de veículos reclamam quanto a danificação dos veículos de praticamente todos os portes”, justificou Maurício Ferreira.

Após o tramitar do processo licitatório deverá ser imediatamente dada a ordem de serviço para realização das obras de reforço estrutural da Ponte do Rio Peixoto no Bairro Beira Rio em Peixoto de Azevedo com o propósito de adequar a estrutura ao intenso tráfego de veículos pesados na região, como caminhões graneleiros, gaiolas, frigoríficos, madeireiros e de transporte de máquinas pesadas.  

“É importante que se diga que neste trecho da BR-163 passam milhares de carretas diariamente que seguem para os Portos de Miritituba e Santarém, e a estrutura da ponte construída na década de 90 está muito deteriorada e aquém do ponto de vista de resistência a este grande fluxo de veículos pesados. Antes que aconteça um mal maior, a reestruturação é essencial para a segurança e muito bem vinda”, comemorou o Prefeito de Peixoto de Azevedo, Maurício Ferreira de Souza.

A BR-163 é a principal rodovia federal de Mato Grosso porque interliga o estado de norte a sul, dando vazão ao escoamento da produção agropecuária.

Continue Lendo

Peixoto de Azevedo

Secretária Moaby Ferreira reitera pleitos ao Secretário Estadual de Saúde

Foram reivindicados repasses financeiros em atraso, leitos de UTI, ambulância, entre outras demandas do Hospital Regional.

Secretária Moaby Ferreira reitera pleitos ao Secretário Estadual de Saúde
Foto: Reunião em Cuiabá

Mesmo há poucos dias a frente da Secretaria de Saúde de Peixoto de Azevedo, a Secretária Moaby Ferreira tem demonstrando capacidade e principalmente foco no processo de implementação das políticas públicas no âmbito da atenção básica, que é de responsabilidade da Gestão Municipal.

Ela tem feito visitação e vistoria em praticamente todas as Unidades Básicas de Saúde da sede do município e distrito União do Norte, a fim de detectar os problemas que emperram a resolutividade das atividades, desde a estrutura física, déficit de aparelhos e equipamentos, recursos humanos, estoque de medicamentos, materiais permanentes e de consumo, logística de transporte de pacientes, entre outras demandas que serão sanadas gradativamente com o planejamento da aplicabilidade dos recursos públicos na otimização e humanização do atendimento da municipalidade nos postos de saúde.

“Estamos fazendo esse diagnóstico situacional para que possamos corrigir as falhas e fazermos a saúde pública acontecer de forma qualificada, eficiente e cada vez mais humanizada. É evidente que temos que promover os investimentos necessários para que isso aconteça, e já temos o sinal verde do Prefeito Maurício Ferreira para elencarmos as prioridades e celeremente providenciarmos as melhorias que garantirão melhores condições de trabalho aos profissionais e atendimento de excelência aos cidadãos, quer seja no caráter preventivo ou curativo. Meu foco é elevar e aprimorar os serviços ofertados a toda população Peixotense”, enfatizou a Secretária Moaby.

Na última semana ela se reuniu com o Secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, onde reforçou os pleitos do Prefeito Maurício Ferreira de Souza em relação a quitação dos repasses em atraso ao Consórcio Intermunicipal de Saúde e a disponibilidade dos recursos estaduais para reforma e ampliação do Hospital Regional, a implantação de leitos de UTI na Unidade Hospitalar, maior aporte de verba para ampliação do quadro de especialidades médicas, manutenção e custeio da Casa de Saúde, aquisição de ambulâncias, entre outras necessidades prementes.

“É minha obrigação quanto gestora municipal de saúde, cumprir as metas relativas a Atenção Básica, mas também é um compromisso da atual administração fazer a interlocução com a Secretaria de Estado e o próprio Governo no sentido de dotar o Hospital Regional de toda infraestrutura, logística, acesso universal, tecnologias e a satisfação dos usuários acometidos por enfermidades de média e alta complexidade. O Governo de Mato Grosso irá trabalhar solidariamente e compartilhadamente com os consórcios intermunicipais de saúde e colocou o Vale do Peixoto como prioridade em suas ações por atender a 04 municípios e até a região sul do estado do Pará”, argumentou Moaby Ferreira.

Continue Lendo

Mais lidas da semana