Sintep Peixotense adere a Greve Nacional da Educação

Publicado dia 15/03/2016 às 15h57min | Atualizado dia 29/03/2016 às 08h55min

Serão três dias de mobilização por uma Educação de Qualidade e Valorização dos Profissionais.

Em entrevista concedida a imprensa local de Peixoto de Azevedo, o Presidente do SINTEP, Marcos Monteiro, disse que a categoria decidiu em Assembleia Geral aderir a Greve Geral da Educação que acontece em todo território nacional nos dias 15, 16 e 17 de março de 2016.

“Estamos atendendo ao chamado da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação - CNTE, os professores das redes municipal e estadual estão nesta mobilização para exigir o cumprimento da lei do piso, retomada da carreira e educação pública de qualidade social para todos e todas”, enfatizou Marcos Monteiro Farias.

Os profissionais da educação Peixotense estão nas unidades de ensino recebendo os pais e responsáveis no sentido de orientá-los e informa-los com relação aos pleitos da classe educacional. Nesta quarta-feira (16), acontecerá na Escola Estadual 19 de Julho uma reunião para discutir a atualização da pauta reivindicatória da educação a nível municipal, onde deverão ser tratados assuntos relacionados a oficialização do pagamento do piso nacional para os funcionários do apoio e técnico administrativo até o mês de abril em virtude do ano eleitoral, melhoria da infraestrutura escolar e a integralização do reajuste de 11,36% a todos os servidores independente da carga horária municipal (30 Horas), e não proporcionalmente como está atualmente acontecendo.  

“Cobramos um posicionamento urgente da Secretaria de Educação. Precisamos dar celeridade a este processo para resguardar os direitos dos servidores principalmente as vésperas do pleito eleitoral que impõe diversas restrições”, comentou Marcos Monteiro.

O Presidente do Sintep garantiu a comunidade escolar que todos os dias serão repostos sem prejuízos ao aprendizado dos estudantes.

“Recebi um informe da Secretaria Municipal de Educação de Peixoto de Azevedo dizendo que caso algum profissional da rede pública aderisse a Greve Nacional haveria corte do ponto e automaticamente perdas financeiras na sua folha de pagamento. Tranquilizo e asseguro aos trabalhadores, que nossa mobilização está respaldada em lei pela constituição brasileira, e não existe esta possibilidade de punição por parte do Poder Executivo, que poderá inclusive ser abrigado a ressarcir os servidores caso isso venha acontecer”, repudiou o Presidente Marcos Monteiro.

Está agendado para o dia 17 de março, às 8:00 horas uma caminhada pelas principais ruas e avenidas da cidade, com saída da Creche Escola Irmã Dulce e mobilização pacífica em frente a Secretaria Municipal de Educação – Localizada na Avenida Lions Internacional.   


Fonte Notícia Vip


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Notícia Vip, não reflete a opinião deste Portal.