PF faz buscas em casas de políticos e órgãos públicos em MT, DF e SP

Publicado dia 14/09/2017 às 08h58min

Carros da PF estiveram na ALMT, TCE e nas casas do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), e de outros políticos que aparecem recebendo dinheiro em vídeos entregues por Silval Barbosa.

Polícia Federal e o Ministério Público Federal cumprem nesta quinta-feira (14), mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 64 endereços. A Operação Malebolge é uma sequência da Operação Ararath, que investiga desvio de dinheiro público e lavagem de dinheiro por meio de factorings clandestinas. Não há mandados de prisão.

Um dos mandados de busca e apreensão foi cumprido no apartamento ex-governador de Mato Grosso e atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), na Asa Sul, zona nobre de Brasília.

Participam da ação 270 policiais federais e membros do MPF nas seguintes cidades: Cuiabá, Rondonópolis (MT), Primavera do Leste (MT), Araputanga (MT), Pontes e Lacerda (MT), Tangará da Serra (MT), Juara (MT), Sorriso (MT), Sinop (MT), Brasília e São Paulo.

Carros da Polícia Federal estiveram na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), no Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), no Centro Político Administrativo, na casa do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), no Bairro Jardim das Américas, na capital, e na Prefeitura de Cuiabá, no Centro da cidade.

No entanto, a PF não divulgou os endereços onde são cumpridos os mandados de busca e apreensão. Conforme a PF, os mandados foram expedidos pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Vídeos de dinheiro

Além dos depoimentos detalhando como funcionavam os esquemas de corrupção em seu governo, Silval Barbosa entregou provas materiais, entre elas vídeos. As imagens mostram o ex-chefe de gabinete dele, Sílvio Corrêa, entregando maços de dinheiro ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), ao deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), ao deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), e aos ex-deputados estaduais, Luciane Bezerra (PSB), Alexandre Cesar (PT) e Hermínio Jota Barreto.

Emanuel Pinheiro alegou que não fez nada ilícito e que vai comprovar isso na Justiça. Já o deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), marido de Luciane Bezerra, disse que ela recebeu dinheiro para quitar dívidas de campanha eleitoral. O advogado de Sílvio Corrêa disse que não pode comentar porque a delação está sob sigilo. José Domingos Fraga e Jota Barreto não foram localizados.


Fonte G1 MT


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Notícia Vip, não reflete a opinião deste Portal.