Prefeito de Matupá barra aumento na Câmara e Veto é mantido por todos os Vereadores

Publicado dia 04/08/2017 às 18h44min

O primeiro projeto de lei apresentado pela Câmara de Matupá este ano, em 12 de abril, foi justamente para aumentar os valores das diárias e verba indenizatória.

Vereadores de Matupá continuam recebendo os mesmos valores que recebiam os parlamentares da Legislatura anterior. Os parlamentares do município, eleitos na eleição de 2016, até que tentaram reajustar os valores das Diárias e da Verba Indenizatória, mas foram barrados pelo veto do prefeito Valter Miotto (PMDB), que se posicionou contra o aumento.

O primeiro projeto de lei apresentado pela Câmara de Matupá este ano, em 12 de abril, foi justamente para aumentar os valores das diárias e verba indenizatória. Os valores propostos eram de no mínimo R$ 1.000,00 e no máximo R$ 1.800,00 para os vereadores em efetivo exercício da função.

Já para o presidente da Câmara, os valores seriam ampliados para, no mínimo, R$ 1.800,00 e no máximo, R$ 2.600,00. A matéria foi aprovada no dia 18 de abril, mas com o veto do chefe do poder Executivo e a repercussão negativa na sociedade, os vereadores optaram por recuar.

Desta forma, após ser vetado, o projeto foi devolvido para a Câmara Municipal e em sessão realizada no dia 26 de junho, por unanimidade, todos vereadores votaram a favor do veto do prefeito e a matéria acabou sendo arquivada. O salário dos vereadores de Matupá é de R$ 4.500.

Para o prefeito Valter Miotto, os vereadores demonstraram bom senso e entenderam que não é hora de ampliar os gastos públicos.

“Todos os vereadores acompanharam meu veto e isto prova que eu estava certo. Eles poderiam ter derrubado o veto, mas agiram com bom senso diante da situação de crise que o país está passando. O Brasil está em crise, o Estado está em crise e a crise reflete nas prefeituras. Por isto, a classe política tem que dar o exemplo e evitar gastos desnecessários. Os vereadores entenderam e voltaram atrás. Foi o melhor para Matupá”, analisa o prefeito.

Valter Miotto esclarece que não houve conotação política em seu veto. “Eu agi desta forma pensando nos interesses do município de Matupá, evitando que o dinheiro público fosse gasto de forma desnecessária. Por outro lado, também evitei desgaste para a imagem dos próprios vereadores e da Câmara municipal. Um aumento neste momento inoportuno, não iria ficar bem diante da população porque iria contra a política de austeridade e controle nos gastos públicos”, enfatiza o prefeito.


Fonte José Vieira - Jornal MT Norte


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Notícia Vip, não reflete a opinião deste Portal.