Casal é morto a facadas e pedradas e depois enterrado dentro de casa

Publicado dia 28/11/2017 às 14h19min

A filha é a principal suspeita de ter cometido o crime bárbaro.

Paulo Pinto e Marilene Freitas, encontrados enterrados na varanda de casa, em Corumbá, Pantanal de Mato Grosso do Sul, na semana passada, foram mortos a facadas e pedradas. As causas foram reveladas no laudo de uma perícia realizada no último fim de semana.

O documento aponta também que os corpos estavam enterrados há mais de dez dias. O casal estava desaparecido há pelo menos 15 dias. “Tem uns 17 dias atrás que eu encontrei com ele no centro, que ele trabalhava em uma barraquinha de garapa”, explicou Daniela Casupa, irmã de Paulo.

Suspeita de cometer os assassinatos, a filha das vítimas, de 24 anos, está desaparecida, juntamente com o namorado, de 23 anos, que também teria participado do crime. Os dois embarcaram para Campo Grande, na quinta-feira (23), segundo apurado pela polícia.

Apesar do indício de viagem para a capital sul-mato-grossense, os investigadores acreditam que os dois já não estejam mais na cidade, e sim em outro estado. Os jovens tiveram a prisão decretada pela Justiça e estão sendo procurados.

Relação

A suspeita de cometer o crime era filha de Marilene e enteada de Paulo. O casal vivia junto há dez anos e ajuda a garota a cuidar da filha de três anos de idade.

Já o outro suspeito de cometer o crime, segundo apontam investigações da polícia de Corumbá, é genro do casal.

Os suspeitos de cometer o duplo assassinato tinham uma relação com as vítimas que ia além do parentesco. Eles moravam na casa com as vítimas.

De acordo com parentes, Paulo era vendedor de caldo de cana, e costumava fazer ‘bicos’ com a ajuda de Marilene para sustentar a família.

Descoberta dos corpos

Foram familiares que encontraram os corpos após desconfiarem do fato de a filha do casal e o namorado estarem vendendo móveis das vítimas.

Os parentes decidiram arrombar a casa. Ao entrarem, encontraram uma obra feita recentemente. Ao abrir, eles acharam as vítimas. De acordo com a polícia, os corpos estavam escondidos há pelo menos 15 dias.

Omissão

Em entrevista à TV Morena, familiares afirmaram que a garota e o namorado esconderam o crime. O cunhado de uma das vítimas relatou que esteve na casa para conversar com a jovem, mas ela negou o desaparecimento.

Os investigadores acreditam que o supostos assassinos permaneceram morando na casa durante dias, mesmo com marido e a esposa enterrados na varanda.

O irmão mais velho da suspeita contou que a última vez que conversou com a irmã foi no dia 14 deste mês. Por telefone ela disse que estava tudo bem e que a mãe teria se mudado com o marido para a Bolívia.


Fonte G1 MS


Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Notícia Vip, não reflete a opinião deste Portal.