Redes Sociais
Redes Sociais

Matupá

Bairro Cidade Alta deverá receber investimentos da ordem de R$ 4,4 milhões em pavimentação asfáltica

Projeto de Engenharia prevê execução de obras de drenagem de águas pluviais e capa asfáltica de 43.926,70 M²

Bairro Cidade Alta deverá receber investimentos da ordem de R$ 4,4 milhões em pavimentação asfáltica
Foto: Audiência Pública

Aconteceu nesta semana na Escola Estadual Luiza Miotto importante Audiência Pública para tratar da Contribuição de Melhoria das obras de infraestrutura urbana que serão executadas este ano no Bairro Cidade Alta.

Diversos moradores e proprietários de imóveis nesta comunidade estiveram presentes para ouvir as explanações da Secretaria de Planejamento e do Setor de Engenharia da Prefeitura Municipal de Matupá-MT.

O projeto de drenagem, galerias de águas pluviais e pavimentação asfáltica foi elaborado pela Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM, e contempla as Ruas 02, 03, 04, 07, 08, 10, 11, 12, ZH2-004 e Avenida Hermínio Ometto (Continuação Pistas Norte-Sul).

Serão 43.926,70 M² de capa asfáltica com meio-fio, bocas de lobo, sarjetas e sinalização horizontal e vertical.

Os recursos financeiros já estão disponíveis e o processo licitatório providenciado para que sejam investidos valores da ordem de R$ 4.412.840,91 (Quatro Milhões, Quatrocentos de Doze Mil, Oitocentos e Quarenta Reais e Noventa e Um Centavos).

Os moradores presentes na audiência pública aguardam ansiosamente a realização do sonho de terem suas ruas e avenidas pavimentadas para que possam construir calçadas, melhorar a estrutura das residências e comércios, mas principalmente para darem adeus ao incômodo da lama e poeira na época de chuva e estiagem. Outro fator positivo está ligado a valorização imobiliária das propriedades.

As obras de drenagem de águas pluviais e pavimentação asfáltico do Bairro Cidade Alta e da região conhecida como ‘Bom Futuro’ deverão ser desenvolvidas ainda este ano de 2020 pela Prefeitura de Matupá.

“Nós acreditamos na administração do Prefeito Valtinho Miotto, sabemos que se fosse pela vontade dele, as obras já estariam acontecendo, já que até os tubos de concreto para a drenagem encontram-se no nosso bairro. Infelizmente alguns vereadores criaram situações que acabou atrapalhando o andamento do projeto. Foi um compromisso feito com a comunidade e temos certeza que será honrado até o final da atual gestão, e iremos pagar a contribuição de melhoria com gosto, pois este é u sonho nosso”, disse Margarete Camargo, moradora do Cidade Alta.

Em relação a contribuição de melhoria, o tributo só deverá ser cobrado após a conclusão integral da infraestrutura urbana, onde os moradores poderão optar pelo pagamento a vista com 20% de desconto ou parcelado em até 24 vezes.

Lembrando que em outubro de 2019 foi realizada a audiência pública para tratar sobre a contribuição de melhoria posterior a execução das obras de drenagem e pavimentação asfáltica da Avenida Interpeninsular, Rua 13, Rua 14 e Rua 15 do Bairro Cidade Alta, perfazendo um total de 17.368,93 M²  e demandando recursos financeiros superiores a R$ 2,3 milhões.  

Comentários
Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Vip , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Mato Grosso

Sindiminério trabalha para reversão de decisão judicial que fechou Compras de Ouro

Recurso deverá ser apresentado para que seja revista ou reformulada decisão da 7ª Vara Federal Ambiental e Agrária do Amazonas

Sindiminério trabalha para reversão de decisão judicial que fechou Compras de Ouro
Foto: Ouro extraído em Peixoto de Azevedo

O Presidente do Sindicato das Indústrias Extrativas de Minérios do Estado de Mato Grosso, Flávio Gomes, concedeu entrevista à TV Miragem – Afiliada do Record TV em Peixoto de Azevedo-MT para explicitar as medidas que estão sendo tomadas pela instituição em conjunto com a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso – FIEMT, afim de derrubar uma Decisão de Tutela Antecipada da Juíza da 7ª Vara Federal Ambiental e Agrária da Seção Judiciária do Amazonas, que culminou no bloqueio de toda e qualquer movimentação do setor madeireiro e da operação de todos os postos de compra de ouro vinculados a Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários - DTVMs e demais estabelecimentos comerciais de compra e venda de ouro em operação nos municípios integrantes dos hot spots de ilícitos ambientais, durante todo o período reconhecidamente considerado de pandemia no novo coronavírus.

“Já estamos buscando reverter esta decisão da justiça federal, visto que o setor mineral Mato-grossense vem sendo uma referência no contexto de organização, legalização, pesquisas, implementação de tecnologia e demais recursos que possam minimizar consideravelmente os impactos ambientais, inclusive com o cumprimento do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD. É notório os prejuízos e graves consequências econômicas e sociais que já estão sendo gerados devido a esta decisão da justiça federal do Amazonas. O fechamento das compras de ouro irá refletir no desaquecimento econômico de diversos municípios que tem como principal fonte geradora de empregos e renda a atividade garimpeira. Em tempos de pandemia, isso irá potencializar problemáticas de cunho social e até mesmo no contexto da segurança, quer seja por parte dos trabalhadores da mineração e também pelas próprias compras de ouro”, disse o Presidente Flávio Gomes.

Ele lembrou que lideranças dos setores madeireiro e mineral estão atuando em conjunto para que no mais breve espaço de tempo seja restaurada a funcionalidade, operacionalização, transporte e comercialização dessas matérias primas, já que os empreendimentos que atuam licitamente.

“Conversamos com as instituições representativas das classes e vamos aguardar uma resposta da Advocacia Geral da União/AGU, através da apresentação do respectivo recurso, no sentido de permitir a continuidade das atividades lícitas, o que já está sendo pleiteado através de recurso a Justiça Federal da 1ª Região”, informou o Presidente do Sindiminério.

No que se refere a uma possível mobilização pacífica de fechamento de rodovia BR-163, Flávio Gomes, esclareceu que chegou-se a uma decisão de adiamento na expectativa de que a decisão judicial seja reformulada ou revista, mas caso não ocorra um posicionamento favorável, o bloqueio da rodovia federal voltará a pauta de discussões para que os empreendedores de mineração e da base florestal sejam ouvidos em suas demandas, já que ambos os segmentos se mostram essenciais na evolução do PIB – Produto Interno Bruto do Estado de Mato Grosso.

Continue Lendo

Peixoto de Azevedo

Secretaria de Transportes de Peixoto está com frente de serviço na Estrada E-60

Secretaria faz patrolamento, cascalhamento e rebaixamento de serra na E-60 em território Peixotense

Secretaria de Transportes de Peixoto está com frente de serviço na Estrada E-60
Foto: Rebaixamento de Serra

A Secretaria de Transportes de Peixoto de Azevedo em parceria com Associações de Produtores está com uma frente de serviço na Estrada E-60 a cerca de 160 Km da sede do município, região esta com mais de 11.000 hectares de plantio de grãos.

Segundo o Secretário, Júnior Doideira, estão sendo desenvolvidos patrolamento e cascalhanto de trechos críticos, além da execução do trabalho de rebaixamento de serras para facilitação do transporte da produção agropecuária.

“A administração municipal está empenhada na formalização de parcerias para a restauração das estradas rurais de todos os assentamentos. Nossos maquinários passaram por manutenções e revisões, e de imediato foram colocados na ativa para revitalizar e garantir o transporte de gado, grãos, leite, madeira e alimentos da agricultura familiar. Continuaremos nos esforçando ao máximo para que as vias do interior estejam aptas para a trafegabilidade”, disse o Secretário.

Uma patrulha composta por PC, caminhões basculantes e trator de esteira permanece na região executando os serviços.  

Continue Lendo

Mato Grosso

Casos de Covid-19 chegam em 91 municípios de MT

O boletim aponta mais de 2.400 casos registrados e 58 mortes em decorrência da doença.

Casos de Covid-19 chegam em 91 municípios de MT
Foto: Divulgação

Os casos de Covid-19 já chegaram em mais da metade das cidades de Mato Grosso. De acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), até o último sábado (30), 91 municípios tem casos confirmados da doença, o que representa 64% do estado.

O boletim aponta mais de 2.400 casos registrados e 58 mortes em decorrência da doença.

Entre os dez municípios com maior número de casos de coronavírus, estão: 

  • Cuiabá (723)
  • Várzea Grande (227)
  • Rondonópolis (191)
  • Tangará da Serra (111)
  • Primavera do Leste (101)
  • Sorriso (84)
  • Lucas do Rio Verde (74)
  • Barra do Garças (73)
  • Sinop (55)

Segundo a SES, dos 2.413 pacientes infectados pelo vírus, 1.533 estão em isolamento domiciliar e 147 estão hospitalizados. Destes, 76 estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 71 em enfermaria.

Estão recuperados 675 pacientes.

Continue Lendo

Mais lidas da semana