Redes Sociais
Redes Sociais

Peixoto de Azevedo

COOGAVEPE estuda implementação de Biotecnologia na Mineração

Inovação tecnológica para o melhor reaproveitamento dos chamados rejeitos de mineração existentes no Vale do Rio Peixoto.

COOGAVEPE estuda implementação de Biotecnologia na Mineração
Foto: Visitação a Mineradora Filão da Porteira

A Cooperativa de Garimpeiros do Vale do Rio Peixoto (COOGAVEPE) recebeu durante dois dias a visita dos Engenheiros Químicos da Empresa RBio – Ronaldo Biondo e Sebastião Silvio, que atuam na área de Biotecnologia Avançada em todo território nacional.

Eles foram recebidos pelos membros da Diretoria Executiva e Ambiental da COOGAVEPE, oportunidade em que conheceram as dependências da instituição e assistiram a uma palestra expositiva sobre os trabalhos e atividades desenvolvidos pela maior cooperativa do ramo mineral do Estado de Mato Grosso que produziu em 2018 mais de quatro toneladas de ouro.

A Cooperativa de Garimpeiros busca a inovação tecnológica para o melhor reaproveitamento dos chamados rejeitos de mineração utilizando a biotecnologia para a recuperação de metais presentes em minérios, como é o caso do ouro.

Os engenheiros da RBio estiveram em garimpos, filões e pequenas mineradoras legalmente licenciados pelos órgãos competentes, nestes locais foram feitos acompanhamentos sobre a gestão, manejo, emprego de tecnologia e pesquisas. Também foram coletadas amostras dos rejeitos para testes laboratoriais.

O objetivo e meta da COOGAVEPE é implementar o processo biotecnológico na cadeia produtiva de mineração do Vale do Rio Peixoto. A RBio estaria desenvolvendo pesquisas sobre a biolixiviação na extração de ouro, criando em laboratório uma bactéria inofensiva aos humanos, e que possa minimizar e até mesmo abolir o cianeto e o mercúrio, ambos são extremamente nocivos a saúde dos garimpeiros e ao meio ambiente.   

A COOGAVEPE de forma pioneira caminha para essa inovação e evolução no ramo mineral Mato-grossense e buscará subsídios com as esferas de governo, setor privado e os próprios cooperados para viabilizar o projeto que já é desenvolvido com sucesso em países, como Austrália, África do Sul, Canadá e Chile.

Comentários
Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Vip , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Mato Grosso

Sindiminério trabalha para reversão de decisão judicial que fechou Compras de Ouro

Recurso deverá ser apresentado para que seja revista ou reformulada decisão da 7ª Vara Federal Ambiental e Agrária do Amazonas

Sindiminério trabalha para reversão de decisão judicial que fechou Compras de Ouro
Foto: Ouro extraído em Peixoto de Azevedo

O Presidente do Sindicato das Indústrias Extrativas de Minérios do Estado de Mato Grosso, Flávio Gomes, concedeu entrevista à TV Miragem – Afiliada do Record TV em Peixoto de Azevedo-MT para explicitar as medidas que estão sendo tomadas pela instituição em conjunto com a Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso – FIEMT, afim de derrubar uma Decisão de Tutela Antecipada da Juíza da 7ª Vara Federal Ambiental e Agrária da Seção Judiciária do Amazonas, que culminou no bloqueio de toda e qualquer movimentação do setor madeireiro e da operação de todos os postos de compra de ouro vinculados a Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários - DTVMs e demais estabelecimentos comerciais de compra e venda de ouro em operação nos municípios integrantes dos hot spots de ilícitos ambientais, durante todo o período reconhecidamente considerado de pandemia no novo coronavírus.

“Já estamos buscando reverter esta decisão da justiça federal, visto que o setor mineral Mato-grossense vem sendo uma referência no contexto de organização, legalização, pesquisas, implementação de tecnologia e demais recursos que possam minimizar consideravelmente os impactos ambientais, inclusive com o cumprimento do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD. É notório os prejuízos e graves consequências econômicas e sociais que já estão sendo gerados devido a esta decisão da justiça federal do Amazonas. O fechamento das compras de ouro irá refletir no desaquecimento econômico de diversos municípios que tem como principal fonte geradora de empregos e renda a atividade garimpeira. Em tempos de pandemia, isso irá potencializar problemáticas de cunho social e até mesmo no contexto da segurança, quer seja por parte dos trabalhadores da mineração e também pelas próprias compras de ouro”, disse o Presidente Flávio Gomes.

Ele lembrou que lideranças dos setores madeireiro e mineral estão atuando em conjunto para que no mais breve espaço de tempo seja restaurada a funcionalidade, operacionalização, transporte e comercialização dessas matérias primas, já que os empreendimentos que atuam licitamente.

“Conversamos com as instituições representativas das classes e vamos aguardar uma resposta da Advocacia Geral da União/AGU, através da apresentação do respectivo recurso, no sentido de permitir a continuidade das atividades lícitas, o que já está sendo pleiteado através de recurso a Justiça Federal da 1ª Região”, informou o Presidente do Sindiminério.

No que se refere a uma possível mobilização pacífica de fechamento de rodovia BR-163, Flávio Gomes, esclareceu que chegou-se a uma decisão de adiamento na expectativa de que a decisão judicial seja reformulada ou revista, mas caso não ocorra um posicionamento favorável, o bloqueio da rodovia federal voltará a pauta de discussões para que os empreendedores de mineração e da base florestal sejam ouvidos em suas demandas, já que ambos os segmentos se mostram essenciais na evolução do PIB – Produto Interno Bruto do Estado de Mato Grosso.

Continue Lendo

Mato Grosso

Casos de Covid-19 chegam em 91 municípios de MT

O boletim aponta mais de 2.400 casos registrados e 58 mortes em decorrência da doença.

Casos de Covid-19 chegam em 91 municípios de MT
Foto: Divulgação

Os casos de Covid-19 já chegaram em mais da metade das cidades de Mato Grosso. De acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), até o último sábado (30), 91 municípios tem casos confirmados da doença, o que representa 64% do estado.

O boletim aponta mais de 2.400 casos registrados e 58 mortes em decorrência da doença.

Entre os dez municípios com maior número de casos de coronavírus, estão: 

  • Cuiabá (723)
  • Várzea Grande (227)
  • Rondonópolis (191)
  • Tangará da Serra (111)
  • Primavera do Leste (101)
  • Sorriso (84)
  • Lucas do Rio Verde (74)
  • Barra do Garças (73)
  • Sinop (55)

Segundo a SES, dos 2.413 pacientes infectados pelo vírus, 1.533 estão em isolamento domiciliar e 147 estão hospitalizados. Destes, 76 estão em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 71 em enfermaria.

Estão recuperados 675 pacientes.

Continue Lendo

Mais lidas da semana