Redes Sociais
Redes Sociais

Peixoto de Azevedo

Vereador cobra recuperação emergencial das estradas, pontes e bueiros de Peixoto de Azevedo

No perímetro urbano e rural as vias estão intransitáveis causando transtornos a população e problemas no escoamento da produção agropecuária.

Vereador cobra recuperação emergencial das estradas, pontes e bueiros de Peixoto de Azevedo
Foto: Ponte Danificada interior de Peixoto

A convite de sitiantes, chacareiros, fazendeiros, assentados e pecuaristas do entorno da cidade e dos 11 assentamentos rurais de Peixoto de Azevedo, o vereador Joranir Soares esteve averiguando a situação de total precariedade das estradas, pontes e bueiros da zona rural do município.

Segundo o parlamentar, os pequenos, médios e grandes produtores anunciam perda de produção de grãos, leite e outros hortifrutigranjeiros, e até mesmo a impossibilidade de transportar o gado até o frigorífico, em virtude da falta de manutenções periódicas e de melhor qualidade por parte das Secretarias de Obras e Transportes.

“Reconhecemos que as fortes chuvas tem prejudicado e causado grandes danos, mas infelizmente não houve o trabalho preventivo de patrolamento, cascalhamento, elevação de pontos baixos, aberturas de saídas de água e a substituição de antigos pontilhões, pontes e bueiros de madeira, por obras de arte de concreto ou de aço corrugado. Até mesmo as manilhas colocadas não foram o suficiente para vasão das águas e acabaram sendo levadas pelas enxurradas. Precisamos que o Prefeito Maurício Ferreira coloque os maquinários para socorrer os produtores, mesmo que seja uma ação paliativa até a chegada da estiagem, caso contrário muitos agricultores e pecuaristas vão quebrar em seus negócios, criações e plantios”, mencionou o Vereador Joranir Soares.

Ele lembrou que a situação se repete também no perímetro urbano da cidade em praticamente todos os bairros: Jerusalém, Mãe de Deus, Liberdade, Bela Vista, Santa Isabel, São Judas Tadeu, Aeroporto, Centro Antigo, Nova Esperança.

“Não se consegue chegar em casa, acessar uma empresa ou comércio onde não existe via pavimentada. São valetas, buracos, erosões, lamaçal e até atoleiros dentro da cidade. A população merece uma resposta urgentemente, afinal foi muito propagada a aquisição dos maquinários 0 Km que não se vê atuando na recuperação e na garantia da trafegabilidade”, declarou o legislador.

Joranir Soares cobra que de imediato seja feita uma força tarefa para amenizar os transtornos e problemas nas vias urbanas e rurais, pois não se vislumbra a possibilidade das chuvas darem uma trégua tão cedo. Caso isso não seja feito, com absoluta certeza a problemática das estradas, ruas e avenidas não asfaltados será ainda mais agravada.

“O Prefeito Decretou Situação de Emergência e acionou a Defesa Civil Estadual e Nacional. Agora é arregaçar as mangas e buscar com urgência a bancada federal afim de alocar recursos financeiros para reabrir estradas, construir pontes e bueiros de concreto e promover uma revitalização descente, duradoura e que não dê tantos problemas devido a falta de conservação contínua e responsável”, disse Joranir Soares.

Em muitas regiões o transporte de gado está impossibilitado, o ônibus escolar não chega, o caminhão isotérmico de leite não adentra as propriedades, caminhões graneleiros estão tendo que ser puxados por tratores, o direito de ir e vir das pessoas está comprometido e muitas famílias lamentavelmente encontram-se ilhadas.

Comentários
Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Vip , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Matupá

Empreiteira recebe ordem de paralização das obras de Iluminação de LED em Matupá

Várias vias que seriam contempladas com os braços ornamentais e lampadas de LED serão prejudicadas com a repentina paralização das obras.

Empreiteira recebe ordem de paralização das obras de Iluminação de LED em Matupá
Foto: Implantação de Iluminação de LED em Matupá

A nossa reportagem recebeu uma denúncia sobre a paralização das obras de implantação de iluminação ornamental nas vias de acesso ao Complexo Turístico dos Lagos de Matupá.

Em conversação com o Técnico Responsável da Empresa Tartari Engenharia e tecnologia, Ricardo Augusto, a cerca de uma semana o setor de engenharia da prefeitura contatou os diretores para anunciar a ordem de paralização e uma possível rescisão contratual a pedido do Prefeito Fernando Zafonato.

A obra havia sido licitada e estava em fase de execução, como aconteceu parcialmente nas Avenidas Interlagos, Irmã Adelis, Interpeninsular e Sebastião Alves Júnior.

Acontece que na manhã desta terça-feira (26) a empreiteira fez o recolhimento dos veículos e maquinários, lacrou o contêiner de fios, lâmpadas e conduites, bem como dos braços fabricados exclusivamente para atender as especificações do contrato de iluminação turística, e liberou a equipe de operários, ou seja, estão deixando a cidade de Matupá.

Com isso, o projeto iniciado na gestão anterior ficará inacabado, uma vez que vários trechos das vias estão com apenas 20% de obra executada, a exemplo do percurso torre de telefonia até a Borracharia Matupá (Avenidas Irmã Adelis/Interpeninsular), seguimento Cachaçaria do Cheff até a antiga Nogueira Funilaria e Pinturas (Avenida Interlagos/Lago do Dendê), lateral direita do Sicredi até Boa Vista Máquinas (Avenida Irmã Adelis/Lago do Dendê), e outros pontos que continuam com a antiga e defasada estrutura de iluminação.

Os proprietários de residências, comércios e empresas que até então estavam comemorando a renovação da iluminação dessas vias, através da substituição de lâmpadas incandescentes por de LED, questionam os vereadores e a própria prefeitura em relação aos motivos e justificativas do abandono das obras, que inclusive estão melhorando a visibilidade no período noturno, assegurando mais economia aos cofres públicos, promovendo segurança aos transeuntes e embelezando urbanisticamente a cidade.

Segundo o Técnico da Tartari Tecnologia, Ricardo Augusto, a empresa está de viagem/mudança para o município de Alta Floresta, onde estará a frente de outras obras nos setores público e privado, e que foram pegos de surpresa com o pedido de paralização por parte da Prefeitura de Matupá, uma vez que todo material e a logística de execução estavam acontecendo dentro dos padrões exigidos.

Fica o espaço aberto aos vereadores da Câmara Municipal e ao Poder Executivo para que venham informar a municipalidade sobre a tomada de decisão que acaba de deixar uma obra inacabada, mesmo que licitada e com dinheiro em conta, já que o projeto demanda recursos federais e municipais.   

"Nossa, estava ficando lindo demais, além de muito melhor iluminado. Até nós que moramos nas imediações nos sentimos mais seguros com a claridade. Os vereadores de Matupá e a própria Prefeitura tem por obrigação de nos manter informados, afinal é dinheiro público. O medo é que essa obra fique pela metade, prejudicando todos que passam por essas avenidas", disse a moradora Maria de Lurdes Carvalho. 

Continue Lendo

Mais lidas da semana