Redes Sociais
Redes Sociais

Peixoto de Azevedo

Reeducandos fabricam EPIs para profissionais do Hospital Regional de Peixoto de Azevedo

MPE disponibilizou recursos financeiros de transações penais para compra de insumos. Reeducandos entraram com a mão de obra.

Reeducandos fabricam EPIs para profissionais do Hospital Regional de Peixoto de Azevedo
Foto: Entrega de EPIs

Um grupo de reeducandos da Unidade Prisional de Peixoto de Azevedo participou de um curso de corte e costura realizado pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego - PRONATEC, ocasião em que aprenderam a fazer diferentes peças de vestuário.

Em contrapartida, o Conselho Comunitário de Execuções Penais juntamente com o Departamento Penitenciário Nacional – DEPEN, promoveram a aquisição e entrega de máquinas de costura industriais para a montagem de uma oficina ou sala de costura dentro da estrutura física da Cadeia Pública Peixotense.

A iniciativa, que funciona como terapia ocupacional e remissão de pena, ensinou técnicas de costura, além de oportunizar a profissionalização do recluso visando a sua reinserção ao convívio social após a conclusão de sua pena por meio do ingresso no mercado de trabalho.

Uma ideia e iniciativa louvável da Enfermeira da Unidade Prisional foi compartilhada com Diretoria da Cadeia, Conselho da Comunidade na Execução Penal, Conselho Comunitário de Segurança Pública, Secretaria Municipal de Saúde e a Diretoria do Hospital Regional no sentido de utilizar a mão-de-obra, espaço físico e os equipamentos disponíveis para confecção de máscaras, toucas e roupões aos servidores da saúde que atuam na linha de frente de combate, prevenção e tratamento do COVID-19.

As instituições solicitaram ao Promotor de Justiça, Dr. Marcelo Mantovanni Beato, que destinasse recursos financeiros de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), Transações Penais e outras Ações movidas pelo Ministério Público Estadual para que fossem investidos na aquisição de tecidos, linhas, agulhas, entre outros insumos.

De pronto e imediato, o Dr. Marcelo Mantovanni, disponibilizou R$ 15.000,00 onde viabilizou a confecção dos Equipamentos de Proteção Individual para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, auxiliares, dentre outros profissionais que trabalhando no Hospital Regional, que por sua vez atende quatro municípios, aldeias indígenas e pacientes da região sul do estado do Pará.

“Foi muito justo o pleito. A ação além de ser social, é humanitária e benvinda em tempos de pandemia. O Ministério Público Estadual acolheu o pedido dessas instituições, pois com esta atitude promovemos a ocupação dos reeducandos em prol de uma causa coletiva, ou seja, o enfrentamento e prevenção ao coronavírus. Sabemos das dificuldades de aquisição deste material junto as indústrias, empresas e fornecedores diante da grande procura, e a iniciativa é extremamente importante para suprir as necessidades do hospital”, comentou o Promotor Dr. Marcelo Mantovanni Beato.

O Diretor da Unidade Prisional, Manoy Rodrigues, lembrou que todo o trabalho desenvolvido na fabricação dos EPIs é acompanhado por assistente social, psicólogo, líderes de plantão e a comissão laboral.

“É importante que se diga que são liberados a prestação desses serviços voluntários, apenas os custodiados que já cumpriram 1/6 da pena e que têm bom comportamento. Outro fator positivo diz respeito a remição da pena, conforme prevê a Lei de Execução Penal que determina que a cada três dias, um dia é descontado na pena recebida. Este projeto de ressocialização só é possível graças a esta rede de instituições parceiras, em especial o Ministério Público Estadual representado pelo Dr. Marcelo Mantovanni”, declarou o Diretor da Cadeia Pública, Manoy Rodrigues.

Uma etapa de materiais já foi entregue ao Consórcio Regional de Saúde e a Diretoria do Hospital Regional de Peixoto de Azevedo-MT.

Comentários
Aviso Legal: Qualquer texto publicado na internet através doNotícia Vip , does not reflect the opinion of this site or its authors and is the responsibility of the readers that publish.

Social

Machadão Atacadista já repassou R$ 28.500,00 para APAEs de Matupá, Peixoto e Guarantã

A terceira etapa de repasse financeiro da Campanha Colabore aconteceu no Machadão Atacadista de Matupá

Machadão Atacadista já repassou R$ 28.500,00 para APAEs de Matupá, Peixoto e Guarantã
Foto: Entrega dos Cheques as APAEs

Cumprindo sua missão social, o Machadão Atacadista fez esta semana a 3ª entrega de recursos financeiros do ‘Projeto Colabore’ as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) das cidades de Matupá, Peixoto de Azevedo e Guarantã do Norte.

Até o momento as entidades filantrópicas já receberam no total R$ 28.500,00, sendo que cada APAE recebeu de doação o valor de R$ 9.000,00.

O Machadão Atacadista de Matupá agradece a população regional pela adesão a campanha ao comprar as sacolinhas plásticas beneficentes pelo preço de R$ 0,10 cada, cujo valor líquido é repassado às APAEs, valor de extrema importância para manutenção de suas atividades, projetos, estrutura física e outras demandas de atendimento aos portadores de necessidades especiais.  

Evandro Kommers e Yolanda Lazarotto, Diretores das APAEs de Peixoto e Matupá, enalteceram a iniciativa do Machadão Atacadista, que vem de encontro as necessidades das instituições filantrópicas que atuam com a ajuda e colaboração direta da comunidade.

“Esses valores são significativos para que possamos aprimorar todas as nossas atividades em beneficio dessas pessoas especiais, que precisam de amparo, auxílio, atenção, respeito e muito amor. O Machadão tem proporcionado a continuidade de muitas ações estruturais e no cumprimento das metas da APAE. Em nome dos pais e alunos registramos o profundo agradecimento e gratidão pela solidariedade”, disse o Diretor da APAE Peixotense, Evandro Kommers.

O Machadão Atacadista reconhece, valida e respalda o trabalho desenvolvido pelas APAEs da região Vale do Peixoto, que proporcionam o acesso ao conhecimento, aos direitos constituídos, a cultura e o esporte, à reabilitação, à promoção de autonomia para pleno exercício da cidadania das pessoas com deficiência intelectual e múltiplas, fornecendo aos alunos independência e autonomia.

Continue Lendo

Mais lidas da semana